CHÁ DE SUMIÇO

CHÁCHÁ DE SUMIÇO

 

Queria um comprimido de alegria

uma drágea de esperança

um belo emplastro de luz

 

 

Talvez, uma injeção de poesia

‘overdose de bonança’

que me arrancasse da cruz

 

 

Queria algum xarope de empatia

um elixir contra o ranço

que assola o mundo enfermiço

 

 

Uma colher de sopa de alforria. . .

Veneno qualquer que me desse descanso. . .

Queria tomar um bom chá de sumiço.

 

PAULO MIRANDA BARRETO

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição Compartilha  Igual 4.0 Internacional -.

 

Anúncios

RUANA CIGANA

cigana 3RUANA CIGANA

 

Hoje, não quero morrer

mas, sim matar de prazer

quem me faz querer amar!

 

 

Hoje, vou pagar pra ver

não o que tenho a perder

mas, o que tenho a ganhar!

 

 

Quero comer (e beber)

Sim! Devorar e sorver

o que ela quiser me dar!             

 

 

Dentro dela, me entreter

Dentro dela, me perder

e, dentro em mim . . .  lhe encontrar.

 

PAULO MIRANDA BARRETO

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição Compartilha  Igual 4.0 Internacional -.

SEGUINDO A CIGANA

cigana 2SEGUINDO A CIGANA!

 

Quando alicia a malícia

sacia  o seu cio e laça

minha quentura devassa. . .

É dela a minha delícia!

 

 

Minha fogosa Ruana

goza comigo e de mim. . . .

Mas, eu sigo essa cigana

e sempre digo-lhe sim!

 

 

Dentro em sua rubra rosa

meu falo fala poemas

numa língua silenciosa

sem palavras ou fonemas. . .

 

 

E, ah! O sêmen que ele expele

jorra . . . e  inunda o ventre dela

deixando a poesia à flor da pele

indescritivelmente ardente e bela.

 

PAULO MIRANDA BARRETO

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição Compartilha  Igual 4.0 Internacional -.

ADORA DORES

ADORA4ADORA DORES

 

Isadora adora as dores

dos adoradores dela

Pisa os seus bajuladores

e, com deleite, os flagela

 

 

Os seus olhos são credores

dos ardores que desperta

nos que imploram seus favores

(Toda errada . . .  ela está certa)

 

 

Ora, ignora clamores

Ora, assente à clientela

Ai! Desnuda de pudores

deita e rola! Sonsa e bela!

 

 

Usa e abusa dos senhores

e dos doutores, a esperta

que engambela os sonhadores. . .

pra viver de flores e louros coberta.

 

PAULO MIRANDA BARRETO

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição Compartilha  Igual 4.0 Internacional -.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MIL ANOS

MIL ANOS

MIL ANOS

 

Alicio silêncios por instinto

Balbucio sussurros por ofício

e, por vício poético é que minto

a verdade real que é meu exício

 

 

Meu versar é um árido exercício. . .

No entanto, das messes que me traz

eu invento que é céu o precipício

em que estou e estarei (mil anos mais).

 

PAULO MIRANDA BARRETO

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição Compartilha  Igual 4.0 Internacional -.

PARAFUSO A MENOS

parafusoPARAFUSO A MENOS

 

Às vezes leio Ana C . . .  ou Caio Fernando Abreu

e sinto que tudo muda

entre a terra, o céu e eu

 

 

Mas, ao ler os evangelhos de Lucas ou de Matheus

penso muito mais em Buda

do que em Jesus ou em Deus. . .

 

 

Talvez, eu não bata bem

tenha um parafuso a menos

ou, seja apenas alguém

que vê remédio em venenos

 

 

e o Mal dos ‘homens de bens’

a aniquilar os ‘pequenos’

que, desamparados, veem

a pérfida ascensão . . .  dos obscenos.

 

PAULO MIRANDA BARRETO

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição Compartilha  Igual 4.0 Internacional -.

 

 

 

 

 

 

DAS BESTAS DESEMBESTADAS

ZUMBIS

DAS BESTAS DESEMBESTADAS

 

As bestas desembestadas

(redondinhas ou quadradas)

e as mulas esmolambadas

têm, por cabrestos, tesão. . .

 

 

E, as hordas desordenadas

armadas ou desarmadas

fardadas ou malfadadas

vagam . . .  sem ter direção

 

 

O General generaliza a marmelada

e a patacoada faz-se o coro da Nação

que cambaleia entorpecida e indignada

ante o inapto, mentecapto Capitão

 

                                                                               

E, a minha cara, continua embasbacada

frente a pífia empáfia dos ‘Reis da Razão’. . .

‘Gente abastada’ e ‘gentalha abestalhada’

que defende a canalhada com afinco e devoção.

 

PAULO MIRANDA BARRETO

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição Compartilha  Igual 4.0 Internacional -.

 

 

 

 

 

 

ELEVADO E LEVADO

ELEVADO

ELEVADO E LEVADO

 

meu espírito elevado

(e levado qual moleque)

é por Deus tão bem amado

que Ele permite que eu peque

 

 

sem ter pejo nem cuidado

sem burla ou salamaleque

sempre O tenho do meu lado

quando sóbrio ou de pileque. . .

 

 

mantém-me a salvo e guardado

pra que mal nenhum me breque

ou me toque . . . sou sagrado

(tal e qual Melquisedeque)

 

 

na vida que, em sentido figurado

é jogo de xadrez, não fico em xeque

sou enxadrista exímio, meu chegado!

feito de ouro . . .  e não de pechisbeque.

 

PAULO MIRANDA BARRETO

IMAGEM: ‘’Meninos pulando cela’’ CÂNDIDO PORTINARI

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição Compartilha  Igual 4.0 Internacional -.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PENÉLOPE, A LOUCA

PENÉLOPE

PENÉLOPE, A LOUCA

 

Penélope ouve Brahms e lê Balzac

enquanto come flãs e bebe brandy

em generosas doses (com Prozac). . .

-garante que, de nada se arrepende-

 

 

De vez em quando, tem um piripaque

mas, logo se refaz . . .  nunca se rende

Diz que, se morrer de um cardíaco ataque

volta do além-túmulo e, me surpreende!

 

PAULO MIRANDA BARRETO

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição Compartilha Igual 4.0 Internacional -.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O PIOR CEGO

PIOR CEGOO PIOR CEGO

 

Bem sei que o Amor é cego

e que segue a me segar

com sua foice . . . mas, nego

Vejo e não quero enxergar

 

 

que o pior cego sou eu. . .

O Amor, ao menos, maneja

bem sua foice . . .  Eu, no breu

sou o que sangra . . .  e rasteja.

 

PAULO MIRANDA BARRETO

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição Compartilha Igual 4.0 Internacional -.