AINDA MORA

 

AINDA MORA3

AINDA MORA

 

Lembra a colcha de chenile

que você trouxe do Chile

e deixou no chão do quarto?

 

 

Guardei comigo, Camile  

entre aquele antigo ancile

restaurado e o retrato

 

 

seu . . . que ficaram na estante

junto à estátua de elefante

que compramos na Letônia

 

 

Guardei até o seu desodorante

o seu xale, o seu laxante

e o seu remédio pra insônia. . .

 

 

O meu apê parece um relicário. . .

ou futurista antiquário

em quel vivo relembrando

 

 

choroso, taciturno e solitário

nosso amor incendiário

que acabou se esfriando. . .

 

 

Dói relembrar os momentos

ardorosos e febrentos

que tivemos no começo!

 

 

Depois . . . vieram os ventos

brigas, desentendimentos

e tudo virou do avesso

 

 

Nem seu endereço eu sei

(e acho que nem saberei)

Nós terminamos assim. . .

 

 

Mas, se você se foi . . . e eu fiquei

Se nunca mais lhe vi nem reverei

por que você ainda mora . . .  em mim?

 

PAULO MIRANDA BARRETO

MUSICADO E INTERPRETADO POR: ADALTON MIGUEL BATISTA

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição Compartilha Igual 4.0 Internacional -.

 

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição Compartilha Igual 4.0 Internacional -.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s