APERREIO

184

APERREIO

 

o sol se põe em Taiwan

cai uma chuva em Dublin

venta forte em Teerã

e ela . .  . não liga pra mim

 

 

faz 30 graus em Macau

amanhece em Maceió

um sismo assola o Nepal

e eu . . .  continuo só

 

 

neva nos alpes da Austrália

há uma guerra em Bagdá

é feriado na Itália

e ela . . .  não diz onde está 

 

 

porque não telefonar

sei lá, mandar um e-mail

um postal pelo correio

um bilhete . . .   pra avisar

 

 

se partiu pra não voltar

ou foi só dar um passeio?

ah! pra quê me judiar. . .

me deixar nesse aperreio?

 

 

a lua surge em Hanói

um tufão varre Miami

ruge o mar em Niterói

e eu . . . amasso um origami

 

 

cai um jato na Espanha

um ditador no Zimbábue

um UFO na Grã-Bretanha

e eu . . . quero que o céu desabe

 

que o mundo acabe e não reste

nem uma única estrela

viva no reino Celeste

se eu nunca mais . . .   puder vê-la

 

 

ela me ama . . .  ou não ama?

Deus! a dúvida me enerva!

 

vencido pelo sono .. . vou pra cama

e só meu cão (castrado e triste)

me observa.

 

PAULO MIRANDA BARRETO

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição CompartilhaIgual 4.0 Internacional -.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

MAIS TOM ZÉ

paulobarretouneversos.wordpress.com

tom zé eduardo kobraMAIS TOM ZÉ

 

Meu tom

é mais Tom Zé

que Tom Jobim

 

 

Do bojo eu fujo

a jato

Eu ajo assim:

 

 

Cabeça pelo pé

Não pelo sim

 

O que é o que é

não é pra mim

 

Eu vou além do até

Pra lá do fim

 

Eu vim por onde voo

Vou de onde vim

 

Não falo grego

inglês ou mandarim

 

Falo em bom português

(vaso ruim)

 

mas, quebro a regra . . .

e nego a negação

Eu extravaso enfim

(mas soo tão bom)!

 

caio bem em bistrôs

e botequins

 

se tô que tô

em Tóquio ou Tocantins

 

 

Meu tom

é mais Tom Zé

que Tom Jobim

 

 

E a minha poesia

é cor

ação!

 

 

É enganação sincera

Serafim!

 

 

Meu salvador Dalí

me salva são. . .

 

 

Ver o post original 212 mais palavras