O PESO DELA

623O PESO DELA

 

quis carregá-la

e o peso dela. . .

era maior que uma novela

 

quisera fosse leve novelo

o pesadelo. . .

o peso dela        

 

 

enxuguei gelo. . .

lucrei mazela. . .

fez-se procela 

o meu desvelo 

 

 

era uma ‘mala’!

uma ‘cadela’!

porém, deixá-la. . .

deixou sequela

 

quis tanto tê-la. . .

e dar-me a ela

que fiz-me vê-la

ingênua e bela. . .

 

 

meiga donzela

doce quimera. . .

sem percebê-la

tal como era:

 

 

sombria estrela. . .

rude megera. . .

 

e assim . . . querê-la

virou querela.

 

PAULO MIRANDA BARRETO

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição CompartilhaIgual 4.0 Internacional -.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                            

 

 

Anúncios

2 pensamentos sobre “O PESO DELA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s