VALEU!

pipas4VALEU!

 

a boca dispara raios 

diz : ‘para-raios arranham

céus nos quais os papagaios

dos meninos . . .  se emaranham’

 

 

e a boca dispararia   

impropérios, palavrões

mas diz pura poesia. . .

‘O rio sorriu erosões’

 

 

a boca até pariria

asperezas, maldições. . .

mas quer dizer poesia

(que enluare assombrações)

 

 

faz da brisa ventania

faz das geleiras vulcões

faz da tristeza alegria

transforma tudo em canções

 

 

diz: – Daniel, a poesia

vigia a cova e os leões. . .

e a dor que há nela extasia

e anestesia aflições

 

 

desilude luzidia

mil sombrias ilusões

e com malícia alicia

sinas e alucinações

 

 

mas, meu deus! Ave Maria!

a boca que  floresceu

há de murchar algum dia

cheia de silencio e breu.. . .

 

porém, se deixar poesia

ah! se cantar poesia

se semear  poesia

antes de calar . . . valeu!

 

PAULO MIRANDA BARRETO

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição CompartilhaIgual 4.0 Internacional -.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s