RIO DE JANEIRO A JANEIRO

DCF 1.0

 

RIO DE JANEIRO A JANEIRO

 

rio de manhã

rio de tarde

rio de noite

rio até de madrugada

rio de tudo e rio de nada

rio e rio

o tempo inteiro. . .

 

 

rio de janeiro a janeiro

rio de poesias e prosas

rio nu . . .  no teu mar de rosas

rio por último e primeiro. . .

 

 

rio antes e depois

do calor , do calafrio

rio de mim

rio de nós dois

rio do mar

e rio do rio. . .

 

 

rio até me derramar

de amar o teu corpo esguio

rio até meu eu rimar

com teu doido desvario

 

 

rio

sorrio

e sou rio

correndo escorregadio

pelas curvas perigosas

do teu leito luzidio. . .

 

 

nele rolo, nele deito

satisfeito e sem fastio

nele transbordo, sou rio

de águas loucas, caudalosas

 

 

vazo, extravaso, esvazio

meu rio de chamas aquosas. . .

dentro do teu mar de rosas. . .

entre teus lábios . . .  macios.

 

PAULO MIRANDA BARRETO 14/06/2015

 

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s