A SENDA

440

 A SENDA

 

No final da vida

da lida, da estrada

da linha que finda

no fim da picada

 

 

tudo se desvenda. . .

não existe o Nada

Para além da lenda

a Verdade brada

 

 

Lá ninguém duvida

da Alma lavada. . .

Entrada é saída

Partida é chegada

 

 

Retirada a venda

reluz desvendada

a infinita Senda. . .

Não existe o Nada.

 

PAULO MIRANDA BARRETO

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s