IMENSO E MANSO

IMENSO

 

IMENSO E MANSO

 

No meio das andanças, teço versos

Passeio entre palavras (denso) e danço

imenso e manso, lanço-me á universos

que só nas poesias  eu alcanço. . .

 

Assim, me venço . . .  e venço porque avanço

sem ranço, sem descanso  e com bom senso. . .

 

Dispenso o que pesar e não me canso

de amar demais e ser mais do que penso. .

 

PAULO MIRANDA BARRETO

 

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s