POEMA (para o amor que ainda não tive)

445 

POEMA

(para o amor que ainda não tive)

 

é sua lucidez que me alucina

que insana emana o dom de elucidar

que plena, drena a minha adrenalina

e ensina minha alma a se acalmar. . .

 

 

me inclina a ler, reler e delirar

morrer de amor por Cora Coralina

corar com Frida Kahlo e me calar

ouvindo a linda voz de Elis Regina. . .

 

 

me leva além da lenda, a desvendar

a imaginar o que não se imagina

e a ver meu vago lume iluminar

a treva entre as estrelas bailarinas. . .

 

 

e é sua nitidez que descortina

em minha mina o ouro á cintilar. . .

que bom é fascinar quem me fascina!

que bom ser bem amado e bem amar!

 

PAULO MIRANDA BARRETO

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s