A DESDITA DO DITADO

949

A DESDITA DO DITADO

 

Quem espera sempre cansa

‘descansa em paz’

‘perde a vez’

 

perde a voz e a esperança

ganha . . .  a dor

do que não fez

 

 

Quem espera sempre ‘dança’

perde a valsa

e perde o par. . .

 

Quem espera . . . não alcança

Só perde

por esperar.

 

PAULO MIRANDA BARRETO 05/2015

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s