TREVA ENSOLARADA

treva

 

 TREVA ENSOLARADA

 

Sob a lua cheia de saudades tuas

vagueio, perambulo pelas ruas

sem rumo, a ruminar pela cidade

fingindo acreditar que continuas

a unir teus versos pela eternidade. . .

vestida de verdade nua e crua

 

 

Mas, entre a escuridão e o sol que arde

a tua imensa ausência se acentua

e, sem clemência, em mim se perpetua

tornando inteira a dor que era metade. . .

 

 

Inteira, ela dói mais do que a verdade

pois nada, nada, nada lhe atenua. . .

A tua ausência assombra a claridade

e a treva ensolarada á luz da lua.

PAULO MIRANDA BARRETO

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s