MEIA-NOITE E MEIA

1297

MEIA-NOITE E MEIA

 

Feito á meia luz,

meia-noite e meia,

o amor nos seduz,

acende e incendeia.

Meia lua cheia

de achados sutis,

de fachos azuis,

de anseio feliz.

 

 

Feito á meia luz,

meia noite e meia,

nosso amor em nus

baila e cambaleia.

Meia lua cheia

tremeluz em nós. . .

 e trêmula a voz

sussurra o que anseia.

 

 

Feito á meia luz,

meia noite e meia,

nosso amor em nós

ata-nos á teia,

tecida de veias

texturas e sóis,

calores, faróis,

luzes de candeia. . .

 

 

Feito á meia luz,

meia noite e meia,

nosso amor faz jus

ao fogo que ateia. . .

Nosso amor passeia

seis horas ou mais. . .

e o dia clareia.

Dormimos em paz.

 

 

Meia lua cheia

diz tchau, se desfaz. . .

Nosso sono ondeia

em sonhos matinais. . .

Sou seu mar, sereia. . .

Serei sempre audaz!

Noite inteira amei-a. . .

(e amanhã tem mais!)

 

PAULO MIRANDA BARRETO 13/04/2015

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s