APELO Á PELE

284

APELO Á PELE

 

I

Acorda, pele!

Repele, expulsa

toda a repulsa,

toda a irrisão!

 

 

Acorda pele!

Afaga, abraça!

Abra-se á graça

da aceitação!    

 

 

Acorda pele,

que a humana raça

é uma só raça,

um só clarão!

 

 

E a cor da pele,

diversa ou não,

é sempre a pele

do seu irmão.

 

 

II

Na pele clara,

na pele escura,

a alma aclara

a escuridão.

 

 

Há cor na mão.

Há cor na palma.

Há cor na alma?

No coração?

 

 

A cor que ataca

a oposta cor,

sente mais fraca

a mesma dor?

 

 

E na desforra,

sangue vermelho

que deles jorra

não é parelho?

 

 

III

A cor da pele,

a pele clara,

a pele escura,

a pele parda.

 

 

Á flor da pele,

cada mistura

cora a textura ,

dá cor á pele .

 

 

Aflora á pele

a cor pelada,

a dela, a dele,

delineada.

 

 

A pele apura

a cor herdada.

Clara ou escura,

morena ou parda.

 

 

A pele é bela,

a cor inata.

Negra, amarela,

branca, mulata.

 

 

A pele é pele.

A cor, detalhe.

Quem a repele,

apela e fale.

 

IV

Há raça escrava?

Há raça pura?

Raça é palavra. . .

Guerra e loucura. . .

Haverá cura

pra humana raça?

Isso não passa?

Não se depura?

 

 

V

Dentro do peito,

o preconceito,

devora o amor,

causa desgraça.

 

 

Pra todo efeito,

o ser é feito

mais que de cor,

mais que de raça.

 

 

Dentro do peito

sem preconceito,

bate mais forte

o coração.

 

 

Tudo perfeito!

Nenhum defeito!

A vida e a morte

iguais nos são!

 

 

VII

No afã, na fé,

de pé no chão,

o humano é

humano irmão.

 

 

Na ação e até

na sensação

o humano é

humano irmão.

 

 

VIII

Toda mistura,

comum ou rara,

gera cultura,

libertação.

 

 

Sem preconceito,

todo direito

é tido e aceito,

sem restrição.

 

 

Sem preconceito

e com respeito,

tudo tem jeito  

e solução.

 

 

Preto com branco

Branco com preto.

Tudo correto.

Só perfeição!

 

 

IX

De Deus a pele

que cor terá?

Será dourada?

Azul? Grená?

Ou prateada?

Como será?

 

Faz diferença?

(Fez ou fará?)

 

Seja qual for

de Deus a cor,

o Seu Amor

nos amará!

 

Por que não nós?

Por que não nós?

Por que não nós?

O que é que há???

 

PAULO MIRANDA BARRETO 14/04/2015

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s