GROSELHA

GROSELHA1

GROSELHA

 

Parece, meu povo, que a ‘nova política’

entrou de cabeça no jogo ‘da velha’

Então, ficou claro que a tal claque mítica

fingiu ser vinho fino e,  é só . . . groselha.

 

PAULO MIRANDA BARRETO

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição Compartilha  Igual 4.0 Internacional -.

HÁ NORMAL?

 

NORMAL

HÁ NORMAL?

 

Há tempos há temporais

bonanças contemporâneas

tempestades tropicais

tropicálias instantâneas

 

 

eternas (ou momentâneas)

mais do mesmo e, ademais

mais Anitas que Bethânias

Chicos, Caetanos e tais

 

 

Ainda há verde (é verdade!)

Ainda há bem! (Nada mal!).

Mas, será que a realidade

é fantástica ou . . .  boçal?

 

 

Será que há normalidade

baby, no novo normal?

(ou sofisticaram a banalidade

e anormalidade, hoje, é natural?).

 

PAULO MIRANDA BARRETO

 Imagem: ALESSANDRO GOTTARDO

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição Compartilha  Igual 4.0 Internacional -.

PROFECIA PROFILÁTICA

dúvida77

PROFECIA PROFILÁTICA

 

A Terra parou

(Nós continuamos)?

 

O Mundo, não acabou

(Nós apenas começamos)?

 

PAULO MIRANDA BARRETO

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição Compartilha  Igual 4.0 Internacional -.

ORA SÃOS

SÃOS FFORA SÃOS

 

antes bem

sós

que mal

acompanhados

 

 

sigamos

todos nós

sãos

e isolados

 

 

ouçamos

só a voz

dos mais

cotados. . .

 

antes bem

sós

que mortos

e enterrados.

 

PAULO MIRANDA BARRETO

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição Compartilha  Igual 4.0 Internacional -.

A COISA CERTA

certaA COISA CERTA

 

Vemos agora novos significados

para o que antes,  era insignificância

Hoje, seguimos todos juntos e isolados

criando meios de domar a nossa ânsia

 

 

de querer ter, de querer ser, de voar alto

E, assim, notamos que, doar importa mais. . .

Ao confinar-se a humanidade deu um salto

em prol da solidariedade, em prol da paz

 

 

Hoje, sabemos dar valor a cada dia

e a nos render à quietude que desperta

em nós o senso de valor e de empatia. . .

(A melhor coisa a se fazer é a coisa certa)

 

 

Hoje, o futuro é tão somente algo longínquo

Hoje, o presente é o que há . . . e, a gente avança

cheios de Fé, de Amor ao próximo e de afinco

ganhando tempo . . . sem perder a Esperança.

 

PAULO MIRANDA BARRETO

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição Compartilha  Igual 4.0 Internacional -.

A ESPERANÇA QUE NÃO CANSA

ESPERA ESPERANÇA QUE NÃO CANSA

 

Sob os pesos que me esmagam

vejo girassóis sombrios

E, as lágrimas quem me alagam

encheriam seis mil rios

 

 

Meus vaga-lumes se apagam

Meus vulcões se tornam frios. . .

Mas, meus navios não naufragam

Sou manso . . . em mares bravios.

 

PAULO MIRANDA BARRETO

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição Compartilha  Igual 4.0 Internacional -.

 

 

A CURA

CURATIVOA CURA

 

Ah! Mantenha a calma!

Lave as mãos e a alma!

Fique em paz, com fé. . .

 

 

Lembre: ‘Tudo passa’

Logo, essa ameaça

some, ‘dá no pé’

 

 

Pra que o Bem renasça

pense, fale e faça

tudo pelo Bem. . .

 

 

Não ouça a celeuma

nem renda-se à fleuma. . .

A cura . . . já vem.

 

PAULO MIRANDA BARRETO

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição Compartilha  Igual 4.0 Internacional -.

DO BENÉFICO MAL

 

MAL

DO BENÉFICO MAL

 

Isso esmaga o egoísmo

(e a vaidade também)

Isso incinera o cinismo

e dilacera o desdém. . .

 

 

Existe um velho aforismo

que, assevero, nos convém

e, o digo, sem pessimismo:

‘Há males que vêm pro Bem’

 

 

Hajam com mais altruísmo

Amem sem olhar à quem

Reneguem o egocentrismo

e não desprezem ninguém

 

 

Cultivem o pluralismo

e ajudem quem nada tem

como puderem para que o abismo

se extinga através do Amor. (Amém?)

 

PAULO MIRANDA BARRETO

 

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição Compartilha  Igual 4.0 Internacional -.

NESSE NATAL

1-john-13_3277_1024x768NESSE NATAL

 

Nesse Natal, não quero roupa nova

Só quero a minha alma renovada

pra ser do mundo, a Luz, da Terra, o sal

 

 

Pra sepultar o ano velho em sua cova

e ver o Novo Ano vir de alma lavada

a derreter o gelo . . .  e derrotar o mal.

 

PAULO MIRANDA BARRETO

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição Compartilha  Igual 4.0 Internacional -.

 

 

 

 

 

A ROTINA REVELADA

ROTINA 7

A ROTINA REVELADA

 

Silente, ajunta letras que idolatra

e as deita nos poemas que perpetra

pra tornar reta e concreta a abstrata

e torta vida humana que interpreta

 

 

Ele é o louco e o seu psiquiatra

-Fora de si  . . .  é que se compenetra-

E, a sorrir, ele soletra a dor que o mata

com a alma grata . . .  só por ser Poeta.

 

PAULO MIRANDA BARRETO

IMAGEM: ‘’Retrato de Charles Baudelaire’’ by   GUSTAVE COUBERT

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição Compartilha  Igual 4.0 Internacional -.